Jean Meyer

O ARAUTO DO ESPIRITISMO

O GRANDE MECENAS DE CRISTO

O GRANDE ENTUSIASTA DA CAUSA ESPÍRITA

O DISCÍPULO FERVOROSO DE ALLAN KARDEC

(1855 - 1931)

 

Jean Meyer O continuador DOS TRABALHOS DE ALLAN Kardec

NA PUBLICAÇÃO DA REVUE SPIRITE (REVISTA ESPÍRITA)

(1916 - 1931)

(através da fundação jean meyer FINANCIOU A FUNDAÇÃO DA MAIORIA DOS ÓRGÃOS DE DIVULGAÇÃO DO ESPIRITISMO DE SUA ÉPOCA)

Biografia de Jean Meyer:

Nascido em Riken (Suíça), no dia 8 de julho de 1855, e desencarnado em Béziers, (França), no dia 13 de abril de 1931.

Jean Meyer, escritor, cientista, filantropo e filósofo suíço, foi uma das mais destacadas figuras espíritas no início do presente século. Convertendo-se ao Espiritismo, após ter lido as obras de Allan Kardec e Léon Denis, dedicou-se de corpo e alma à grandiosa tarefa de divulgação da Doutrina dos Espíritos.

Possuidor de apreciável fortuna material, colocou-a inteiramente a serviço do Espiritismo, dedicando-se com denodo e verdadeiro amor à tarefa de divulgação dos seus postulados fundamentais.

Graças ao seu concurso financeiro e apoio moral, fundou-se em Paris, para onde havia transferido o seu domicílio ainda em plena juventude, o "Instituto Internacional de Metapsíquica", cujo primeiro presidente foi o Dr. Roque Santolíquido, notável professor, deputado e Ministro da Saúde Pública e conselheiro governamental na Itália. Ocupou a vice-presidência dessa novel instituição, o não menos famoso Dr. Gustavo Geley. Por seus relevantes trabalhos, esse instituto foi considerado de "utilidade pública", pelo governo francês.

Por ocasião da sua desencarnação, Jean Meyer era diretor- proprietário do "Revue Spirite", fundada por Allan Kardec, exercendo sua direção nos anos de 1916 a 1931. No ano de 1917, em sua própria residência, Vila Valrose, em Paris, foi fundada a "União Espírita Francesa", tendo por seus principais companheiros Gabriel Delanne e Léon Denis. Foi ainda vice-presidente da "Casa dos Espíritas", da mesma cidade; membro proeminente da "Sociedade de Estudos Metapsíquicos" e do "Instituto Internacional de Metapsíquica", vice-presidente do "Congresso Espírita Internacional de Haia", vice-presidente da "Federação Espírita Internacional", quando ela teve a sua sede em Paris, além de ter sido membro de numerosas entidades científicas da França e de outros países.

Jean Meyer dedicou-se resolutamente ao estudo dos aspectos filosófico e científico da Doutrina Espírita, sem se descuidar da parte filantrópica, amparando financeiramente várias instituições assistenciais, dentre elas uma obra erguida em Lyon, pelas senhoras Stephen e Dayt.

O grande seareiro despendeu apreciável parcela de sua fortuna na difusão do Espiritismo por meio das "Edições Meyer", e na sustentação das instituições doutrinárias, com destaque a "União Espírita Francesa".

Encetou numerosos estudos com o Dr. Gustavo Geley no "Instituto Internacional de Metapsíquica", pois era persistente investigador dos fenômenos espíritas, ao ponto de merecer de Léon Chevreuil, um dos presidentes da "União Espírita Francesa", a afirmação de que "sem Meyer a Metapsíquica não existiria".

Na qualidade de vice-presidente da Comissão Executiva do "Congresso Espírita Internacional", realizado em Paris, de 6 a 13 de setembro de 1925, Meyer trabalhou com afinco, fazendo salientar, de forma impressionante, os seus conhecimentos científicos.

No Congresso Espírita de Londres, realizado em 1928, no qual tomou parte com "Sir" Arthur Conan Doyle, que muito o prezava, ele pronunciou as seguintes palavras: "É pela União da Ciência com o Espiritismo, com essa fé racional que ele nos dá, auxiliando-se um ao outro, que chegaremos a uma compenetração cada vez mais justa e sempre mais elevada, da obra de Deus".

Podemos afirmar, sem hesitar, que Jean Meyer foi um dos mais lídimos continuadores da obra de Allan Kardec, inclusive pela manutenção das tiragens da "Revue Spirite" durante cerca de 15 anos, e pela realização de uma intensiva divulgação dos postulados espíritas, numa época quando a nova doutrina revelada começava a aclarar os horizontes sombrios do mundo, com os esplendores da sua luz.

Jean Meyer não foi um homem que enterrou o talento, conforme o dizer judicioso dos Evangelhos. Ele se capacitou de que a fortuna material deve ser colocada em favor das causas nobres, por isso não hesitou em pôr esse legado transitório, que havia recebido dos Céus, a serviço do Espiritismo e dos menos favorecidos pelos bens terrenos, mas também colocou a sua inteligência, a sua fé inquebrantável e todas as forças de que dispunha, para que essa mesma causa viesse a triunfar.

Fontes: Paulo Alves de Godoy e Antonio de Souza Lucena - Personagens do Espiritismo

Jean Meyer, discípulo de Allan Kardec:

Filantropo, escritor, cientista e filósofo suíço, naturalizado francês. Natural de Rinken, Suíça, de uma família modesta de agricultores; reencarnou no dia 8 de julho de 1855.

Erradicou-se para a França aos 18 anos de idade, adquirindo nacionalidade francesa após ter criado, com o seu trabalho, uma situação de primeiro plano no comércio e, mais tarde, na exploração vinícola; desencarnou em Paris, no dia 13 de abril de 1931, após longos meses de sofrimento, paciente e corajosamente suportados.

Em 1914, Jean Meyer, então abastado industrial e comerciante suíço, considerado por suas obras de filantropia, conheceu o Espiritismo por intermédio de sua prima Mme. Demare. Da mesma forma como acontecera com Camille Flammarion, Jean Meyer se tornou espírita lendo as obras de Allan Kardec e de León Denis. Ele descobriu nelas uma nova filosofia plena de lógica e de raciocínio, até então desconhecida, tornando-se um dos mais ilustres espíritas.

La Revue Spirite

A publicação de “La Revue Spirite” tinha sido interrompida com o número de agosto/setembro de 1915; espírita atuante e, pretendendo assegurar a sobrevivência desse órgão, criado por Allan Kardec, Jean Meyer assumiu a sua direção em 1916, fazendo-a reaparecer em janeiro de 1917.

Em 1918, Jean Meyer adquiriu os direitos de “La Revue Spirite”, de Paul Leymarie, assegurando, assim, a sobrevivência desse órgão. Paul Leymarie, porém, permaneceu na gerência de Revista até o ano de 1924, tendo como secretário Kermário, pseudônimo de um poeta.

A revista deixa a livraria. Jean Meyer adquiriu uma residência no número 8 da rue Copernic, a que deu nome de “Maison des Spirites”.

“ La Revue Spirite ” reunia, nesse tempo, as mais destacadas personalidades do Espiritismo: Gabriel Delanne, Leon Denis, Camille Flammarion, Ernesto Bozzano, A. Bénezech, Marcel Laurent, M. Cassiopée, General Abaut, Dr. Gustave Geley, Marcel Semezies, Pascal y Matilde Forthuny, Louis Gastin, Henri Sausse, Paul Bodier, Sir. Arthur Conan Doyle, Santoliquido, Rocco, León Chevreuil, Hubert Forestier e outros.

Em 1920 o tamanho da revista era de 25,5cm x 16,5cm e em 1923 era mensal, com 48 páginas. Jean Meyer exerceu a direção da Revue até 1931, quando desencarnou.

Unión Spirite Française

Em 1918, Jean Meyer, em sua residência na Vila Valrose, em Paris, fundou a Unión Spirite Française e, com Gabriel Delanne, fundou a revista “Survie de l’Ame Humanine”, com redação no número 28 da Avenue de Sycomores, Ville Mont-Morency, Paris.

Gabriel Delanne, pouco antes de seu desencarne, ocorrido em 15 de fevereiro de 1926, faz um acordo com Jean Meyer, em virtude do qual funde a revista que dirigia, fundada em 1896.

Ainda em 1918, Jean Meyer adquiriu um belo hotel, onde foi instalada a Unión Spirite Française, com a qual também colaborara para dar nascimento, e que, a 23 de abril de 1919, foi reconhecido pelo Governo francês. O primeiro presidente deste instituto foi o Dr. Roque Santoliquido, professor, deputado e Ministro da Saúde Pública, ocupando a vice-presidência o não menos notável Dr. Gustave Geley.

Jean Meyer fundou também a editora Jean Meyer Editeur, criada com seu nome para possibilitar a publicação e propagação dos livros espíritas e metapsíquicos.

Em 1922, a “Librarie des Sciences Psychologiques”, por conta da Fundação Jean Meyer, a “Bibliothèque de Philosofie Spiritualiste Moderne et dês Sciences Psychiques (BPS)”, também fundada por Jean Meyer, lançaram “Editions Mille”, uma verdadeira operação de divulgação, a preços populares, das obras de Allan Kardec, de autores clássicos e contemporâneos. Somente de O Livro dos Espíritos, a tiragem foi de 70.000 exemplares.

Em 1924, no Congresso de Liège, Jean Meyer foi eleito vice-presidente da “Fédération Spirite Internationale”. Seu aluno e continuador foi Hubert Forestier.

Em 1925, na “Maison dês Spirites” se realizou o Congresso Mundial de Paris, tendo sido Jean Meyer o seu organizador e Leon Denis o presidente, que teve ao seu lado Arthur Conan Doyle, ilustre escritor britânico. Este congresso foi pleno de sucesso e o de maior repercussão.

Jean Meyer foi membro de várias entidades científicas da França e de outros países. Em 1928, com um fundo de 4 milhões de francos, constituiu a “Societé d”Etudes Métapsychiques”. No Congresso Espírita de Londres, realizado em 1928, juntamente com Arthur Conan Doyle, de quem era muito amigo, pronunciou as seguintes palavras: “É pela união da Ciência com o Espiritismo, com essa fé racional que ele nos dá, auxiliando-se um ao outro, que chegaremos a uma compreensão cada vez mais justa e sempre mais elevada da obra de Deus”.

Meyer despendeu parte de sua fortuna na divulgação do Espiritismo através das Edições Meyer e na sustentação da Unión Spirite Française. Teve em Gustave Geley um companheiro com o qual estudou muito e desenvolveu persistentes investigações.

Em 13 de abril de 1931, desencarnou. Foi um digno e destacado continuador da obra de Allan Kardec.

Fontes: Revista ICESP

Sesquicentenário da Revista Espírita:

Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas

Vamos conhecer um pouquinho da cronologia da Revista Espírita e da Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas, cujos lançamentos estamos comemorando neste ano seus Sesquicentenários:

1858 - A Revista Espírita é criada por Allan Kardec, situada na Rua dos Mártires, 8. E em 1º/01 sai o 1ª Edição, tendo como gerente Pierre Gaétan Leymarie.

Em 1º/04, Allan Kardec fundava em Paris a “Sociéte Parisienne des Études Spirites” (Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas), que funcionou inicialmente na galeria de Valois no Palais Royal.

1860 - A Revista Espírita e a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas são transferidas para a Passage Ste-Anne, 59.

1869 - Com a desencarnação de Allan Kardec em 31/03, Pierre Gaétan Leymarie torna-se o Editor da Revista Espírita.

1870 / 1871 - Guerra Franco Germânica – “La commune”.

1882 - Em 24/12, P. G. Leymarie propõe a formação de uma assembleia geral para organizar a “Union Spirite Française” (União Espírita Francesa) e a criação de um jornal.

1883 - Em 15/01 é criado o estatuto da União Espírita Francesa e o Jornal “Le Spiritisme”.

1901 - Desencarna em 10/04, P.G.Leymarie. A Srª. Marina Leymarie assume a direção da Revista Espírita até 1904.

1904 - Paul Leymarie assume a Revista Espírita até 1916.

1914 / 1918 - 1ª Guerra Mundial. A Revista Espírita tem sua publicação suspensa até 1916.

1917 - A Revista Espírita volta a ser publicada, tendo como proprietário Jean Meyer, sendo seu diretor até 1931. Até 1924, Paul Leymarie foi seu editor.

1918 - Jean Meyer funda a União Espírita Francesa, instalando-a em Paris na sua vila em Auteuil.

1919 - Jean Meyer transforma a União Espírita Francesa em Associação tendo como presidente Gabriel Delanne e como presidente de honra Léon Denis.

1923 - Jean Meyer compra o prédio nº 8 da Rua Copernic, em Paris onde estabelece a sede da União Espírita Francesa. Este prédio ficou conhecido como a Maison des Spirites. (Casa dos Espíritas)

1925 - A Casa dos Espíritas sediou o Congresso Espírita Internacional com a participação de Léon Denis e Conan Doyle, tendo como vice-presidente Jean Meyer.

1926 - Desencarna Gabriel Delanne, primeiro presidente da União Espírita Francesa.

1927 - Desencarna Léon Denis presidente de honra da União Espírita Francesa.

1931 - Desencarna Jean Meyer em 13/04 na sua vila Valrose, em Béziers França. Seu amigo Hubert Forestier assume a direção da Revista Espírita até 1971.

1939 / 1945 - Segunda Guerra Mundial. A União Espírita Francesa interrompe suas atividades.

1968 - A Revue Spirite passa a ser propriedade de Hubert Forestier, que a registrou no Instituto Nacional de Proteção Industrial.

1971 - Desencarnação de Hubert Forestier. Seus herdeiros transferem os direitos da Revue Spirite para André Dumas.

1976 - André Dumas, anuncia o abandono do título da Revue Spirite e a incorpora numa publicação não espírita denominada “Renaître 2000”, e também que a União Espírita Francesa deixa de existir em abril para dar lugar a “Union Scientifique Francophone pour l’Investigation Psychique et l’Etude de la Survivance de l’Ame.

1977 - Em 20/01, o Presidente da Federação Espírita Brasileira, Francisco Thiesen escreveu ao Sr. André Dumas, para oficializar a proposta a quem de direito, no sentido de assumir a responsabilidade integral e definitiva pelo título e pela manutenção de “La Revue Spirite”. Proposta esta que foi recusada.

1985 - Criação da “Union Spirite Française et Francophone”, por Roger Perez. André Dumas escreve a Roger Perez, que qualquer tentativa para adquirir os direitos sobre a Revue Spirite representa concorrência desleal.

1989 - A “Union Spirite Française et Francophone”, obtém em sentença judicial a recuperação do direito de utilização do título “Revue Spirite”, perante o Tribunal de Meaux, por não ter André Dumas renovado os direitos de propriedade do título da Revista em tempo hábil.

No 4º trimestre, sob o nº 1, ano 132, ressurge a “Revue Spirite”, após 12 anos de interrupção.

1997 - Desencarnação de André Duma.

Fontes: Revista Panorâmico Espírita

 

Em 1922, a “Librarie des Sciences Psychologiques”, por conta da Fundação Jean Meyer, a “Bibliothèque de Philosofie Spiritualiste Moderne et dês Sciences Psychiques (BPS)”, também fundada por Jean Meyer, lançaram “Editions Mille”, uma verdadeira operação de divulgação, a preços populares, das obras de Allan Kardec, de autores clássicos e contemporâneos. Somente de O Livro dos Espíritos, a tiragem foi de 70.000 exemplares.

 

Cartaz da Maison des Spirites, sede adquirida e administrada por Jean Meyer durante duas décadas. Localizado no número 8 da rue Copernic em Paris, o prédio continua arquitetonicamente intacto na capital parisiense.

Maison des Spirites na atual rua Copernico, nº8 em Paris

Jean Meyer e o casal Arthur Conan Doyle durante uma vista a Maison des Spirites na década de 1920.

Silvino Canuto Abreu, pesquisador brasileiro que copiou e adquiriu alguns importantes documentos sobre a história do Espiritismo durante sua visita a Maison des Spirites no final da década de 1930.
Ver no site as Revistas Espíritas publicados por Allan Kardec

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Programa Espiritismo em Foco - Movimento espírita Pós Kardec - Episódios e Declínio Doutrinário na França)

Fontes: Union Spirite Française et Francophone

Fontes: Encyclopédie Spirite - 50 annés de Lá Revue Spirite (50 Anos de Revista Espírita para abaixar)

Fontes: A Luz na Mente » Revista on line de Artigos Espíritas (Movimento espírita Pós Kardec - Episódios e Declínio Doutrinário na França)

"E Jesus, olhando para ele, o amou e lhe disse: Falta-te uma coisa: vai, vende tudo quanto tens, e dá-o aos pobres, e terás um tesouro no céu; e vem, toma a cruz, e segue-me"

Evangelho de Marcos (10:21)

Os Espíritos proclamam um Deus único, soberanamente justo e bom; eles dizem que o homem é livre e responsável por seus atos, recompensado ou punido pelo bem ou pelo mal que houver feito; colocam acima de todas as virtudes a caridade evangélica e a seguinte regra sublime ensinada pelo Cristo: fazer aos outros como queremos que nos seja feito.

Não são estes os fundamentos da religião?

Essa certeza do futuro, de se ir encontrar aqueles a quem se amou, não será uma consolação?

Essa grandiosidade da vida espiritual, que é a nossa essência, comparada às mesquinhas preocupações da vida terrena, não será própria a elevar a nossa alma e a fortalecer-nos na prática do bem?

Allan Kardec "O que e o Espiritismo"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Biografia de Jean Meyer

 

Allan Kardec - Revista Espírita - (Edições 1858 - 1869) - (Tradutor Evandro Noleto Bezerra - FEB) Arquivo Zipado

 

Allan Kardec - Revista Espírita (Edições 1918) - (Jean Meyer) (Fr) 

 

Allan Kardec - Revista Espírita (Edições 1919) - (Jean Meyer) (Fr)

 

Allan Kardec - Revista Espírita (Edições 1920) - (Jean Meyer) (Fr)