HENRI SAUSSE

Secretário-Geral da Federação Espírita Lyon

(1883 - 1923)

OS ÚLTIMOS GRANDES COMBATENTES DA CAUSA ESPÍRITA

semeadores do espiritismo nas terras de kardec

(O BIÓGRAFO DE ALLAN KARDEC)

(1851 - 1928)

 

OBRAS RARAS TRADUZIDAS

 

Para as pessoas que queiram se aprofundar nos pensamentos de Allan Kardec que foi o Codificador da Doutrina Espírita ver LINK

Biografia de Henri Sausse:

Praticamente todos os informes que hoje possuímos da vida pessoal e da missionária de Allan Kardec devemos ao representante comercial francês, nascido em Lyon, no ano de 1851.

Henri descobriu-se médium aos dezesseis anos, quando ouvia ruídos inexplicáveis na casa de seus pais. Em 1869, quando Allan Kardec desencarnou, ele passou a se dedicar com afinco aos estudos das obras do codificador. Nesta época filiou-se ao “Groupe Finet”, que realizava reuniões mediúnicas com a presença de mais de trinta e cinco pessoas.

O prefeito de Lyon recebeu, em 1873, determinações da “Ordem Moral” – recurso mencionado no capítulo 21, da segunda parte, desta unidade – para proibir reuniões espíritas, sob a acusação de anarquia. O “Groupe Finet” foi fechado. Contudo, alguns médiuns continuaram as sessões na residência de Sausse. As mensagens recebidas eram destruídas após cada encontro, para evitar que fossem deixados vestígios que pudessem servir de prova contra os componentes. Passado o período da repressão o grupo voltou a reunir-se até o desencarne do Senhor Finet.

Em 06 de maio de 1883, Pierre-Gaetan Leymarie, então diretor da “Revue Spirite” (Revista Espírita), reuniu-se com os espíritas de Lyon. No encontro o poeta francês Adolphe Laurent de Faget, propôs a criação de uma Federação para reunir os espíritas lioneses.

Apesar de a idéia ter sido aceita por todos, o resultado final não foi a criação de uma Federação, mas sim, da “Société Fraternelle dÉtude Scientifique et Morale du Spiritisme” (Sociedade Fraternal de Estudos Científicos e Morais do Espiritismo). Em 30 de setembro de 1883, Adolphe tornava-se o seu presidente e Sausse o vice-presidente.

As atividades de Henri no meio espírita não cessavam. Ele ajudou na criação e se tornou dirigente, em agosto de 1883, do “Groupe Amitié” (Grupo Amizade), composto por seus amigos da Sociedade Fraternal. O grupo dedicava suas reuniões à educação da Mediunidade dos participantes; utilizavam o recurso das “mesas girantes”, mas, apesar dos constantes encontros, não conseguiram nenhum fenômeno.

Em busca de respostas para o insucesso, Henri provocou a hipnose em uma jovem médium de nome Louise; o resultado foi a resposta: “Quando se sabe ler corretamente não se tem mais necessidade de soletrar. Todos sabem escrever, escrevam por conseguinte, em vez de perder o vosso tempo e o nosso”.

A partir desta orientação eles abandonaram as “mesas girantes” e se dedicaram primeiramente ao estudo do magnetismo (hipnose). Em janeiro de 1884, por meio da mediunidade de Louise, assistiram ao transporte de rosas; em maio foram surpreendidos com a escrita direta. O grupo começava a obter resultados com seus esforços.

As materializações de Espíritos foram obtidas após insistentes tentativas. Em 11 de fevereiro de 1889, conseguiram obter moldes em parafina das mãos do Espírito Esther (um dos que se materializava para o grupo). As atividades do Grupo Amizade duraram até 28 de outubro de 1890, quando Louise casou-se.

Por ocasião da visita de Gabriel Delanne, em julho de 1885, Henri voltou à questão levantada por Adolphe Laurent de Faget, quando da visita de Leymarie. Por sua insistência foi criada, oficiosamente, a “Fédération Spirite Lyonnaise” (Federação Espírita Lyon). Por meio desta Federação, Henri fundou, em 1888, uma sociedade de socorro mútuo composta por espíritas Lioneses para ajudar aos necessitados durante o rigoroso inverno francês. A Federação Espírita Lyon foi a responsável pela visita de Léon Denis, em 1887.

Durante o 2º. Congresso Espírita Internacional, Henri Sausse foi nomeado secretário da Comissão de Propaganda, presidida por Léon Denis. A amizade que se formou entre os dois espiritistas propiciou a Henri elementos para escrever uma biografia de Denis.

Entretanto, não foi aquele o único relato biográfico escrito por ele. Em 1896, Henri realizou uma de suas principais contribuições aos espíritas: a biografia de Allan Kardec, depois de anos de pesquisa, publicou a primeira biografia de Allan Kardec em 1896. Este folheto foi vendido por 30 centavos.

Para tanto pesquisou documentos e obteve informações com pessoas próximas ao codificador, particularmente Leymarie. A “Biographie d´Allan Kardec” (Biografia de Allan Kardec), é talvez até hoje a principal fonte de consulta para os que pretendem conhecer algo da vida do codificador.

Reunindo esforços ele conseguiu oficializar a Federação Espírita Lyon, em 02 de agosto de 1903, nela sendo nomeado secretário-geral.

A Federação Espírita Lyon organizou muitas conferências em Lyon com Leon Denis, Gabriel Delanne, Metzger, Reyle, etc.

Já em 1887, a Caixa de seguro pagava pensões a idosos e deficientes, por isso diz que Henri Sausse afirma por atos e o valor social do Espiritismo.

Federação Espírita Lyon não parou ali a sua ação social: uma creche espírita que foi fundado em 1904, na place de la Croix-Rousse nº 08 na cidade de Lyon e para receber e cuidar gratuitamente das crianças, sem distinção de sexo, religião ou nacionalidade.

A creche espírita foi ampliado primeiro em 1924, depois em 1926 pelo orfanato Allan Kardec, onde abrigava jovens crianças órfãs. O Educandário foi reconhecido como de utilidade pública.

Além disso, a Federação fundou a Ecole Spirite Lyonnaise em 1917. E, em 1925, um asilo foi financiado em benefício dos idosos e dos necessitados.

A atividade da Federação Espírita Lyon foi intensa com muitas revistas e jornais que existiram como: Le Spiritisme à Lyon, le Bulletin des Invisibles, Le bulletin de la Fédération Spirite Lyonnaise, Le Spiritisme Kardéciste, La paix universelle, La Vérité.

Em 21 de março de 1910, criou o “Groupe Espérance” (Grupo Esperança). É interessante ressaltar que o nome foi sugerido pelos Espíritos orientadores. Seus componentes decidiram tornar o grupo rigorosamente fechado para curiosos; novos elementos só seriam admitidos com a aprovação dos Espíritos.

No Grupo Esperança a médium era a jovem Bernadette (chamada carinhosamente de Bedette por Henri). Depois, em 03 de fevereiro de 1913, Louise retornou às atividades para auxiliar o grupo.

Durante as sessões do novo grupo foram realizadas diversas materializações, o primeiro objeto materializado foi um anel que o Espírito Esther deu de presente para a médium Bedette; para se obter o ajuste perfeito no dedo da jovem foram necessárias vinte sessões. Na medida em que as materializações ficaram mais sofisticadas os Espíritos revelaram que a presença de Henri, em virtude de sua mediunidade, era fundamental para a realização dos fenômenos.

Em 27 de junho de 1914, os Espíritos deram uma licença não solicitada para que seus membros se afastassem por um período, depois se descobriu que foi em virtude da Primeira Guerra Mundial que foi declarada no dia seguinte.

Pouco antes do final da guerra, em 01 de janeiro de 1918, Henri passou a editar o periódico mensal “Spiritisme Kárdeciste” (Espiritismo Kardecista) – é bem verdade que Kardec não admitia vincular desta forma seu nome ao Espiritismo, pois ele sabia que o Espiritismo é obra dos Espíritos.

Por fim, em 1923, depois de estar à frente da Federação por trinta e oito anos, Henri transferiu o cargo de secretário-geral e mudou-se para a aldeia francesa Drôme, onde passou a atualizar a quarta edição da biografia de Kardec. Desencarnou naquele local em 26 de fevereiro de 1928.

“É um fato para mim incontestável, que se as obras de Allan Kardec fossem lidas frequentemente e mais seriamente, seriam mais bem compreendidas, seus ensinos melhor observados, e seria apreciado o seu justo valor pelos detratores que o desacreditam apenas por conhecê-lo mal, ou mesmo por não conhecê-lo de forma alguma”.

Centre Spirite Lyonnais Allan Kardec

"Le Spiritisme" - Bulletin 16 - Spécial: Henri Sausse

Estudo da Reencarnação
De Acordo com os Ensinamentos de Allan Kardec

A reencarnação

Nascer, morrer, renascer e progredir sem cessar
Esta é a grande lei que todos devemos nos submeter,
Não se pode violar a Suprema Sabedoria
Não nascemos somente para logo morrermos.

É necessário voltar para este lugar de miséria
Expiar nossos erros, suportar a carga;
Pois em um corpo novo, tirado da matéria
O Espírito deve reparar seus erros do passado.

A Terra é para nós um inferno passageiro;
Devemos sempre lutar e trabalhar;
Superar nossas paixões, cada dia um pouco mais,
Para enfim ganhar, passo a passo, a estadia celestial.

Muitas vezes, viemos para esta Terra;
E ainda voltaremos aqui para progredir e sofrer;
Assim quer o destino; vasculhar este mistério,
Saibamos nos libertar de nossas más inclinações,

Não, Deus não planejou somente uma existência
Decidiu o futuro do Espírito imortal;
Dando-lhe tempo, esperança e sofrimento,
Para, um dia, conquistar a felicidade eterna.

Amigos, como a nossa tarefa é difícil na Terra
Devemos ter um cuidado extremo,
Quando quisermos provar a embriaguez profunda
De abandonar cedo este, para os mundos mais suaves.

Henri Sausse - A Reencarnação Segundo o Espiritismo

O ARTIGO

UMA INFÂMIA

Le Spiritisme (1ª quinzena) dezembro 1884.

Henri Sausse, o principal biógrafo de Kardec e dinâmico líder espírita francês, em artigos – um deles intitulado “Uma infâmia” - publicados no jornal Le Spiritisme, em 1884 e 1885, já levantava questões sobre as adulterações na 5ª edição de A Gênese e apontou 126 alterações no texto original.

***

Perdoem-me, Irmãos e Irmãs de fé, se, a contragosto, deixei-me levar pela indignação que minha alma transborda.

Deveria expulsar do meu coração todo pensamento de raiva e ódio. Há, contudo, circunstâncias em que não se pode conter uma indignação muito justa.

Todos nós sabíamos que havia uma sociedade espírita, fundada para a continuação das obras de Allan Kardec, e nela confiávamos que cuidasse da integridade da herança moral que nos foi deixada pelo mestre. O que ignorávamos é que ao lado dela, talvez até na sua sombra, se organizasse uma outra para a corrupção das obras fundamentais da nossa doutrina, e esta última, não apenas existe, mas pode ainda continuar com sua triste tarefa.

Não tenho certeza se todas as obras de Allan Kardec foram sujas por mãos sacrílegas, mas me dei conta de que havia pelo menos uma, A Gênese, que havia sofrido importantes mutilações.

Chocado com estas três palavras: Revisada, Corrigida e Aumentada, colocadas abaixo da quinta edição, tive a paciência de confrontar, página por página, linha por linha, esta quinta edição com aquela publicada em 1868, que eu comprei logo após seu lançamento. Aqui está o resultado do meu trabalho.

Descobri, comparando os textos da primeira e da quinta edição, que 126 trechos tinham sido modificados, acrescentados ou suprimidos. Desse número, onze (11) foram objetos de uma revisão parcial. Cinquenta (50) foram acrescidos e sessenta e cinco (65) foram suprimidos, e não conto os números dos parágrafos trocados de lugar nem os títulos que foram adicionados.

Todas as partes desse livro sofreram mutilações mais ou menos graves, mas o capítulo XVIII: Os tempos são chegados, é o que foi mais maltratado; as modificações feitas nele o tornam quase irreconhecível.

Agora, digam-me, quem são os culpados?

Qual o motivo dessas manobras?

Mencionarei, na primeira edição de A Gênese, apenas uma das passagens que foram excluídas e basta apontá-las para que vocês mesmos ponham-se a julgar quem deveria lucrar com essa infâmia.

A Gênese, edição de 1868, capitulo XV. Os Milagres do Evangelho, páginas 379 e 380:

"N° 67. No que se tornou o corpo carnal? É um problema cuja solução só pode ser deduzida, até nova ordem, que, senão por hipóteses, faltam elementos suficientes para estabelecer uma convicção. Esta solução, além disso, é de uma importância secundária e não acrescentará nada aos méritos do Cristo, nem aos fatos que comprovam, de uma maneira bem mais peremptória, sua superioridade e sua missão divina.

"Portanto, só pode haver opiniões pessoais sobre o modo como esse desaparecimento ocorreu, que só teriam valor a menos que fossem sancionados por uma lógica rigorosa e pelo controle universal dos Espíritos, e, até o presente, nenhuma das que foram formuladas recebeu a sanção desse duplo controle.

"Se os Espíritos ainda não decidiram a questão pela unanimidade de seus ensinamentos, é que sem dúvidas o momento de resolvê-la ainda não veio, ou que nos faltam os conhecimentos pelos quais poderíamos resolvê-la nós mesmos. Entretanto, se descartarmos a suposição de um sequestro clandestino, poderíamos encontrar, por analogia, uma explicação provável na teoria do duplo fenômeno de transportes e invisibilidade."

A supressão dessa passagem deixa evidente a quem Allan Kardec foi vendido para que fosse necessário insistir nesse ponto. Todos os espíritas sabem a quem se aplica o segundo parágrafo que eu mesmo enfatizei.

Henri Sausse

P. S. — Para aqueles que gostariam de estar cientes das modificações sofridas por A Gênese, aqui estão os números das páginas onde poderão ser encontradas.

- Passagens modificadas da edição de 1868:
Páginas: 68, 79, 85, 105, 148, 155, 181, 203, 205, 215, 429 (onze).

- Passagens adicionadas na 5ª edição: 
Páginas: 10, 16, 17, 48, 52, 73, (75-76), 84, 104, 127, 133, 138, 142, 159, 174, 176, 178, (188-189), 194, 196, (201-202-203-204), 212, (220-221), 223, 234, (240-241), 245, 251, 257, 274, (276-277-278), 284, 286, 301, 310, 311, 312, 313, (314-315-316), 320, (367-368), 376, 394, 399, 424, 433, 436, (448-449-450-451-452-453-454), 455 (cinquenta).

- Passagens suprimidas da edição de 1868: 
Páginas: 12, 23, 47, 48, 50, 54, 58, (59- 60), (61- 62), 65, 69, 73, 74, 78, 82, 83, 85, 86, (87-88), 93, 95, 97, 118, (145-146-147), 165, (173-174), 177, 181, 189, 190, 192, 195, 203, 204, 205, 229, 232, 243, (244-245), 247*, 251, 263, (267-268*), 270, 279, (303-304-305), (379-380), (385-386), 389, 392, 393, 403, 411, 412, 433, (435-436), (439-440), (441-442), (444-445-446), (447-448), (451-452-453) (sessenta e cinco).

As supressões das páginas marcadas por um * é característico.

H. S.

Rogério Miguez - Influenciações no Espiritismo Pós-Allan Kardec

Article Henri Sausse

Une Infamie

Le Spiritisme, décembre 1884

Federação Espírita Lyon

A creche espírita que foi fundado em 1904, na place de la Croix-Rousse nº 08 na cidade de Lyon e era para receber e cuidar gratuitamente das crianças, sem distinção de sexo, religião ou nacionalidade.

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Histoire du spiritisme à Lyon)

Fontes: Canal Espírita Jorge Hessen (Kardec e a Sociedade de Pesquisa)  

(Kardec e a Sociedade de Pesquisa: o trajeto feito até a Sociedade era feito a pé onde ele podia caminhar pelas ruas do local onde morava e acompanhar de perto o crescimento do consumismo que surgiu após a Revolução Industrial. Mas como eram realizados os trabalhos na sala de pesquisa? Quais as atribuições realizadas por Kardec? Onde foi o lançamento de O Livro os Espíritos? Saiba aqui no Revolução Espírita)

Fontes: Le Centre Spirite Lyonnais Allan Kardec - "Le Spiritisme" - Bulletin 16 - Spécial: Henri Sausse

Fontes: Le Centre Spirite Lyonnais Allan Kardec - "Le Spiritisme" - Bulletin 01 - Dossier spécial: Lyon et le Spiritisme

 

"É um fato para mim incontestável, que se as obras de Allan Kardec fossem lidas frequentemente e mais seriamente, seriam mais bem compreendidas, seus ensinos melhor observados, e seria apreciado o seu justo valor pelos detratores que o desacreditam apenas por conhecê-lo mal, ou mesmo por não conhecê-lo de forma alguma."

Henri Sausse "O Biógrafo de Allan Kardec"

"A verdadeira religião é aquela que nos leva a admirar, a adorar a grandeza e magnificência imensa da causa primeira de todas as coisas. Aquela que dá um conhecimento exato de Deus, aquela que se eleva a Deus no mais alto do seu esforço e que faz o homem sentir sua miséria e seu nada, mas apesar disso outorga a ele os meios para se elevar, ensinando-o a colocar sua confiança em Deus, o Mestre Supremo.

Por tanto, estudem o Espiritismo; graças a ele aprenderão a substituir o egoísmo por amor ao próximo; graças a ele, encontrarão a fonte de todas as coisas, saudáveis e verdadeiras. Por que esta, dirão vocês, e não outra? Porque é a obra de Espíritos lúcidos e clarividentes, porque, em uma palavra, não é a concepção própria do homem, e sim de uma multidão de Espíritos que desejam a vossa evolução.

Assim, não o percam de vista. Em hipótese alguma devem suportar modificações na doutrina, porque tentar mudá-la seria para acrescentar a ela formas materiais que ela não precisa. Que adiantaria lutar contra a matéria se para falar com Deus é o que utilizais? Conservai-vos, então, na guarda fiel da vossa querida crença e estaremos todos satisfeitos."

Henri Sausse "¿Provas? ¡Aqui estão elas!"
 

 RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

Biografia de Henri Sausse

 

Henri Sausse - Biografia de Allan Kardec (Obra rara traduzida)

 

Henri Sausse - ¿Provas? ¡Aqui estão elas! (Obra rara traduzida)

 

Henri Sausse - A Reencarnação Segundo o Espiritismo (Obra rara traduzida)

 

Rogério Miguez - Influenciações no Espiritismo Pós-Allan Kardec (Henri Sausse - Uma Infâmia)

 

Baixar as Obras Básicas de Henri Sausse no arquivo zipado