PIERRE JUST LOUIS Timoléon Jaubert

contemporâneo de allan kardec

Presidente da sociedade espírita de bordeaux

O GRANDE ARTICULADOR DO ESPIRITISMO EM BORDEAUX

O GRANDE MÉDIUM de efeitos físicos

(Médiuns tiptólogos)

(1806 - 1891)
 

Tiptólogo - Gênero de médiuns aptos à tiptologia. Médium Tiptólogo.

(Tiptologia [do grego tiptó + logos + -ia] - (Do grego, tipto, eu bato, e logos, discurso.) Linguagem por pancadas, ou batimentos: modo de comunicação dos Espíritos. Tiptologia alfabética.

A Terminologia também é empregada para mencionar o estudo dos raps (plural da palavra inglesa rap /pancada). É a forma de comunicação obtida pela sucessão de pancadas e ou batidas curtas em material rígido, mormente madeira, produzindo ruídos provocados pelos Espíritos com a intenção de expressarem os seus pensamentos.)

Sematologia (Do grego, sema, sinal, e logos, discurso.) Linguagem dos sinais. Comunicação dos Espíritos pelo movimento dos corpos inertes.

Biografia de Timoléon Jaubert:

O Sr. Timoléon Jaubert, um dos magistrados mais doutos, mais honestos e mais modestos que o tribunal de Carcassonne teve à sua frente, morreu em Carcassonne, em 4 de agosto de 1891, aos 85 anos, tendo nascido em Lagrasse em 1806.

Este justo está na erraticidade, com a legião de nossos desencarnados cujas fileiras ele engrossa; ela voltará com ela para dar um impulso real a nossa doutrina espírita para melhor generalizá-las.

Este verdadeiro apóstolo do espiritismo, o Sr. Jaubert iniciou todos os políticos de Carcassonne, todos os membros da ordem com a ajuda de sua poderosa mediunidade; ele obteve, comunicações muito bonitas e especialmente as fábulas que obtiveram os primeiros prêmios nos jogos florais de Toulouse.

Em 1863, ele ganhou uma Primavera, premiando o melhor trabalho na categoria “Fábulas e apologias” da l’Académie des jeux floraux por sua fábula O leão e o corvo. Timoléon indicou a este respeito que este texto pertence ao seu “Espírito familiar” e lhe teria sido ditado por tipologia, isto é, por meio de batidas.

Os espíritas de todo o mundo conhecem Sr. Jaubert e a obra Fables et poésies diverses par un esprit frappeur publicado em 1862, editadas por ele e distribuídos por nossa livraria; cada um deles dirigirá um bom pensamento a este homem de elite tão simpático, gentil e bom, a este venerável, e também à sua tão honrada viúva e ao seu filho amado. Sobre o seu túmulo, o senhor Loubers, presidente do tribunal civil, deu um brilhante testemunho da carreira judiciária, das brilhantes qualidades do magistrado e do particular. Depois dele, o Sr. Lades-Gout, senador de Aude, assim se expressou:

No momento de retornar a terra o envoltório mortal daquele que foi Timoléon Jaubert, estou cumprindo um dever sagrado ao vir, em nome dos seus muitos amigos e eu era um destes, trazer aqui a justa homenagem e saudar uma última vez esta pessoa que foi o santuário de uma inteligência elevada e um coração nobre.

Jaubert foi primeiramente um advogado de Carcassonne, que honrou com seu talento. Mais tarde tornando-se magistrado, ocupou, durante vários anos, com grande distinção e um constante culto da justiça, as funções de vice-presidente do tribunal civil. Surgida a vacância do cargo de presidente, este cargo, ao qual tinha direitos indiscutíveis, foi atribuído a outro.

Que crime havia merecido esta desgraça para meu amigo? Eu vou dizer isso agora. Este crime, que na meia-idade, e mesmo um pouco mais tarde, expiara com a estaca, só lhe valeu, graças ao progresso dos tempos, um privilégio que até tentaram atenuar pela cruz, bem merecida, Cavaleiro da Legião de Honra em 1868.

O nome de Jaubert é inseparável da ideia da doutrina da qual ele foi o apóstolo infalível e fervoroso. Esta doutrina tão condenada, sobre a qual tanto se ridicularizou e contra a qual tantos anátemas foram lançados, que é o espiritismo.

Direi apenas algumas palavras contra os erros e preconceitos que ainda se erguem como uma nuvem em torno dessa crença sublime e consoladora. A doutrina espírita é a afirmação da imortalidade da alma com inúmeras e indiscutíveis provas materiais inquestionáveis.

É a doutrina da pluralidade dos mundos, estabelecida além disso pela ciência, e da pluralidade das existências nesses vários mundos apropriada ao grau de avanço dos seres que devem habitá-los.

É o progresso indefinido na série interminável de existências, alternadamente encarnadas e desencarnadas, a primeira mais particularmente destinada às provações, sendo cada uma consequência da que precede e a preparação para a que se segue. É o avanço incessante pela virtude e sobretudo por aquilo que a todas contém: a Caridade.

A doutrina da reencarnação surpreende mesmo aqueles que professam a fé católica? Abram o evangelho:

Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. (João 3:3)

Jesus respondeu: “De fato, Elias vem e restaurará todas as coisas. Mas eu lhes digo: Elias já veio, e eles não o reconheceram, mas fizeram com ele tudo o que quiseram. Da mesma forma o Filho do homem será maltratado por eles”. Então os discípulos entenderam que era de João Batista que ele tinha falado. (Mateus 11:13)

Quanto à comunicação de espíritos da qual meu amigo e eu tínhamos absoluta certeza, leia novamente na Bíblia, no Livro dos Reis, cap. XVIII, a história da evocação de Samuel, a pedido de Saul, pela pitonisa de Endor.

Sim, acreditamos na comunicação dos mortos com os vivos. Onde os espíritos ditavam poemas admiráveis para Jaubert, dos quais ele poderia ter feito glória: mas ele nunca quis, preferindo prestar homenagem aos seus amigos invisíveis e a verdade.

Sim, caro amigo, graças a esta verdade sublime a que nos iniciaste, eu e outros sabemos que estás aí, junto de nós, testemunha dos piedosos deveres que te prestamos. Mais felizes que nós, ainda escravizados à matéria. Você nos ouve e você lê em nossos corações, os encantos de sua amizade em cuja memória você viverá, até o dia em que nos encontrarmos novamente.

Revista Espírita de Setembro de 1891

Fontes: Centre Spirite Lyonnais Allan Kardec - Bulletin 43

Fontes: l'Encyclopédie Spirite 

"[...] Sou espírita, é sempre declaro que os mortos entram em comunicação direta com os vivos.

Eu o declaro porque sei.

Eu o sei porque há vinte anos estudo este fenômeno. Eu o estudo não no livro dos outros, mais em meu livro, o livro dos fatos. Os fatos são indispensáveis a verdadeira ciência.

E estes fatos há vinte anos, tanto só, quanto com os outros, eu os constato prudentemente, sem preconceitos, e sempre sob o controle de uma fria e sabia razão.

Eu estou, portanto, certo, mil vezes certo do que afirmo. Esses fenômenos, são, portanto tão inverossímeis?

[...] Eu creio que os mortos se comunicam com os homens - mas sem milagre - sem privilégio, porque Deus e justo -, e sem virtude de uma lei tão velha como o mundo.

[...] Até hoje caluniou-se o Espiritismo, e este não foi refutado. Espero um livro digno é sério que o refute.

Não... O Espiritismo não passará. Deus não quer isso.

Ele prova... moraliza... consolada... eleva a alma"

Carcassonne, 07 de junho de 1875
Timoléon Jaubert
(Carta ao Sr. Leymarie por ocasião do Processo dos Espíritas)
 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Artigos Espíritas - Sematologia e Tiptologia (Allan Kardec - O Livro dos Médiuns)

 

Timoléon Jaubert - Médium Tiptólogo

 

Timoléon Jaubert - Fables et poésies diverses par Sprit Frappeur (1862) (Fr)

 

Louis-Auguste-Gratien Salgues - Poésie sublime d'un esprit dictée chez M. Jaubert, vice-président du tribunal de Carcassone (1870) (Fr)

 

Baixar todas as obras no arquivo zipado