Fundazione Biblioteca Bozzano de Boni

 

Via Marconi 8 / E

 

40122 Bolonha/Itália

 

 

 

OS LABORATÓRIOS DO ESPIRITISMO

 

NA COMPROVAÇÃO DA IMORTALIDADE DA ALMA

 

 

 

 

Luce e Ombra

 

revista mensile illustrata di scienze spiritualiste

 

 Rivista Bimestrale di Studi Metapsichichi e di Problemi dellâ Anima e del Pensiero

 

MILANO - ITALY

 

(1902 - 2019)

 

 

A História da Fundação:

 

A Fundação, fundada em 27 de novembro de 1995, administra a Biblioteca Bozzano De Boni, cujo patrimônio bibliográfico trata principalmente de temas relacionados à pesquisa psíquica.

 

Com o tempo, a Biblioteca tornou-se um importante ponto de referência para estudiosos dessas áreas de pesquisa, representando uma das maiores coleções especializadas desse gênero na Europa e no mundo.

 

O objetivo da Fundação é a coleta, conservação, catalogação, circulação de informações e a recuperação de tudo o que foi ou será publicado no futuro sobre o tópico específico da Pesquisa Psíquica, conforme estabelecido no artigo 2 do Estatuto:

 

“A Fundação é uma organização sem fins lucrativos. A Fundação, excluindo de seu programa qualquer finalidade de natureza religiosa ou política, tem o objetivo de proteger, promover, aprimorar, colecionar, catalogar, conservar e difundir conhecimentos sobre assuntos de interesse artístico e histórico a que se refere a lei no. 1089, de 12 de junho de 1939, com especial atenção ao que foi e será publicado sobre o tema "pesquisa psíquica", entendido no sentido mais amplo do termo no que diz respeito aos fenômenos paranormais, e a todos os setores que tenham por objetivo o aprofundamento do personalidade humana e o progresso de suas concepções morais, filosóficas e espirituais ".

 

O patrimônio da biblioteca da biblioteca é coletado em um catálogo geral que pode ser consultado na própria biblioteca e online. (Baixar)

 

O órgão da Fundação é a revista trimestral "Luce e Ombra", publicada continuamente desde 1900 e enviada gratuitamente aos membros.

 

A Fundação organiza reuniões e conferências semanais, no escritório de Bolonha, na via Marconi, 8 / E e durante os dias de estudo monotemático do ano.

 

A Fundação foi reconhecida como personalidade jurídica pelo Conselho Regional de Emilia Romagna com o decreto n. 000510 de 28/10/1996 e encontra-se sob a proteção do Ministério do Patrimônio Cultural e Ambiental, com decreto de 30/05/1997.

 

A Fundação tem como órgão principal o Conselho de Administração, composto por: Presidente, Vice-Presidente e três Diretores.

 

Qualquer pessoa que compartilhe os objetivos e interesses da Fundação pode participar.

 

Fonte: Biblioteca Bozzano de Boni

Apresentação:

A HISTÓRIA DA REVISTA LUCE E OMBRA

 

A idéia de Luce e Ombra começou no ambiente milanês do final do século XIX como um livreto semanal de Ciências, Letras e Artes, fundado em 1894 por Angelo Marzorati, mas teve uma vida curta: apenas seis questões surgiram.

 

Angelo Marzorati (1862-1931) poeta e escritor, bibliófilo apaixonado, interessado em problemas filosóficos e religiosos e também em pesquisas psíquicas, reuniu em torno de si um grupo de pessoas com interesses semelhantes.

 

No Natal de 1900, foi lançada a primeira edição de Luce e Ombra, graças ao financiamento de um industrial de Milão, Achille Brioschi.

 

Em 1901, ainda subsidiado por Achille Brioschi, Marzorati fundou a Sociedade de Estudos Psíquicos.

 

A personalidade de Angelo Marzorati era tal que ele conseguiu concentrar a atenção e simpatia na pesquisa psíquica, apesar da aversão de algumas correntes religiosas e científicas. De fato, os maiores cientistas italianos da época colaboraram com Luce e Ombra: aderindo, escrevendo ou experimentando. Entre eles estão os nomes de dois ilustres psiquiatras Cesare Lombroso e Enrico Morselli. e de diversos parapsicólogos como: Albert de Rochas, F. Ametta, F. Zingaropoli, V. Cavalli, V. Cavalli e outros.

 

Com o tempo, Ernesto Bozzano e Emilio Servadio foram adicionados como colaboradores; a primeira vinda do positivismo científico havia desembarcado no final do século 19 na Pesquisa Psíquica; Emilio Servadio, então um jovem advogado, se tornaria um conhecido psicanalista.

 

Em 1908, um jovem de 21 anos, Antonio Bruers, enviou um artigo para a direção da revista. Naquela época, o editor-chefe da Luce e Ombra havia renunciado e Angelo Marzorati, após uma reunião com Bruers, o nomeou em seu lugar.

 

Outro personagem ilustre, um renomado médico, começou a se juntar ao círculo restrito de Marzorati: Rocco Santoliquido . Ele era um homem de considerável influência nos círculos políticos romanos, graças às posições de prestígio recebidas pela Liga das Nações como representante da Liga das Cruzes Vermelhas e como membro do Parlamento. Rocco Santoliquido estabeleceu uma seção romana, tanto que Marzorati começou a viajar entre Milão e Roma. Tudo isso até que se decidiu mudar a Società di Studi Psichici che Luce e Ombra para Roma.

 

A atividade editorial de Luce e Ombra dizia respeito não apenas à revista, mas também à publicação de muitos volumes, incluindo o de Leon Denis "Depois da Morte" e o autobiográfico da famosa médium inglesa Elisabeth D'Espérance "No Pais das Sombras", bem como algumas monografias de Ernesto Bozzano sobre fenômenos paranormais. A revista também criou uma "Seção de Antiguidades" para fornecer aos estudiosos livros sobre metapsíquicas e problemas relacionados que não são fáceis de encontrar no mercado, que não está mais em operação atualmente.

 

Após a morte de Angelo Marzorati, em 12 de outubro de 1931, a Società di Studi Psichici foi trazida de volta a Milão, enquanto Luce e Ombra permaneceram em Roma, dirigido por Bruers.

 

Na Itália, a atmosfera cultural há muito se tornara difícil para revistas filosóficas, religiosas e afins, que poderiam ser confundidas com periódicos destinados a espalhar filosofias esotéricas estrangeiras. Para remover qualquer mal-entendido, o nome da revista foi alterado para "The Psychic Research", que tornava a natureza científica da publicação mais evidente. A adesão a esse endereço não encontrou a aprovação de Brioschi, tanto que em 1934 ele assumiu a direção de Luce e Ombra.

 

Em setembro de 1939, Luce e Ombra foi suprimida, oficialmente por causa das medidas de guerra que o governo italiano tomou assim que a Segunda Guerra Mundial estourou. O verdadeiro motivo, como Antonio Bruers descobriu, era que Luce e Ombra era considerada inútil, se não perigosa, porque era considerada esotérica.

 

Após a morte de Achille Brioschi em 16 de fevereiro de 1942, mas sobretudo após a destruição da Biblioteca da Sociedade de Estudos Psíquicos devido a uma bomba durante um ataque aéreo, parecia que o trabalho de Brioschi e Marzorati estava totalmente definitivamente destruídos.

 

Luce e Ombra nasceu de novo no Natal de 1946, graças ao médico veronense Gastone De Boni, que assumiu a direção. Como não havia mais clientes como Achille Brioschi, ele e todos os colaboradores escreveram e trabalharam de graça, como ainda acontece hoje.

 

Diferentemente de Angelo Marzorati, Gastone De Boni poderia trabalhar em um clima mais favorável: a pesquisa psíquica se apresentava como um sistema ordenado e controlado de fenômenos derivados do mundo da psique, em última análise da alma.

 

As dificuldades que Gastone De Boni teve que enfrentar eram sobretudo de natureza econômica. De 1947 a 1950, ele suportou diretamente os aspectos editorial e financeiro da revista. De 1951 a 1956, a administração financeira passou para a Editora Fratelli Bocca, deixando a direção para Gastone De Boni. No final de 1956, a revista voltou completamente às mãos do editor devido às dificuldades financeiras da editora. Os custos, no entanto, tornaram-se tão onerosos que, a partir de 1964, Luce e Ombra, mensalmente, se tornaram trimestrais.

 

Enquanto isso, Gastone De Boni estava acumulando material a ser publicado, por isso decidiu fundar a editora Luce e Ombra: era 1967. Muitos volumes importantes e interessantes estavam agendados, mas os eventos permitiam a publicação apenas em parte.

 

Em 1971, Gastone De Boni sofreu um grave acidente de trânsito que o manteve longe do trabalho por um longo tempo; toda a atividade de Luce e Ombra foi interrompida e, por alguns anos, a revista ficou para trás com publicações. Um encontro fundamental para Gastone De Boni remonta àquele período, aquele com Silvio Ravaldini, pesquisador e pesquisador.

 

Começou uma colaboração que se tornou de grande utilidade não apenas para Gastone De Boni, mas também para Luce e Ombra. Outro encontro desse período foi o da jornalista Paola Giovetti, que se tornou como Silvio Ravaldini, colaborador válido da revista. Graças a esses dois amigos, Luce e Ombra retomaram as publicações trimestrais regulares.

 

Gastone De Boni exortou seus colaboradores a encontrar um local estável para a Biblioteca herdada de Ernesto Bozzano, posteriormente ampliada e atualizada, e a criar uma Associação que continuasse o que havia iniciado e continuado ao longo do tempo.

 

Assim nasceram a Biblioteca Bozzano-De Boni e o Arquivo de Documentação Histórica da Pesquisa Psíquica, ambos baseados em Bolonha.

 

Com a morte de Gastone De Boni, em setembro de 1986, a direção de Luce e Ombra foi confiada a Silvio Ravaldini, que ao mesmo tempo herdara todo o patrimônio bibliográfico e documental acumulado por Gastone De Boni.

 

A publicação de Luce e Ombra continuou, tornando-se o órgão oficial do Arquivo de Documentação Histórica de Pesquisa Psíquica.

 

A partir de 1º de julho de 1999, a revista tornou-se o órgão oficial da Fundação da Biblioteca Bozzano-De Boni, na qual o Arquivo de Documentação Histórica da Pesquisa Psíquica se reunira.

 

Em 2000, para celebrar a virada da vida da revista, foi lançado um projeto editorial com o objetivo de oferecer aos leitores o melhor de Luce e Ombra, uma seleção precisa de artigos e passagens significativas de todos os anos anteriores da revista. A intenção era alcançar um total de quatro volumes antológicos capazes de representar os momentos mais significativos e o desenvolvimento geral da publicação ao longo do século XX. Infelizmente, devido aos altos custos de impressão, apenas os três primeiros volumes estão disponíveis até o momento: Le Tracce dell’Anima, que coleta artigos do período de 1901-1925; La Realtà dell’Anima, que reúne as do período 1926-1950; enquanto Il Potere dello Spirito coleta artigos do período 1951-1975.

 

Todos são editados por Massimo Biondi e Silvio Ravaldini. Os volumes não estão à venda nas livrarias, mas podem ser solicitados à Fundação Biblioteca Bozzano De Boni, mediante o pagamento de uma contribuição à Associação.

 

Além disso, em 3 de junho de 2000, foi organizada uma conferência intitulada A fenomenologia espontânea paranormal, cujos os Atos foram publicados na edição nº. 2 de 2000 por Luce e Ombra.

 

Fonte: Biblioteca Bozzano de Boni

 

 

 

SILVIO RAVALDINI

 

O GRANDE AMIGO DE ALLAN KARDEC

 

(1925 - 2015)

 

A vida de Silvio Ravaldini é marcada desde a adolescência por uma experiência singular vivida na casa de seus pais: a participação, iniciada em 1937 e com duração de muitos anos, em sessões mediúnicas de alto nível, realizadas graças ao transe de um jovem amigo de família, Urbino Fontanelli. Durante essas sessões, toda a gama de fenômenos característicos da mediunidade ocorreu: vozes diretas, materializações, mensagens diretas para as pessoas presentes e muito mais. Silvio logo ficou encarregado de redigir a ata, o que ele fez com muito cuidado e que mais tarde serviu para ele escrever seu primeiro livro Realtà e Mistero.

 

Por motivos de trabalho, Ravaldini mudou-se da Toscana para Bolonha, onde viveu até sua morte. Nos anos setenta, ele conheceu o dr. Gastone de Boni, de Verona, que mantinha em sua casa a biblioteca de seu professor Ernesto Bozzano e dirigiu a revista "Luce e Ombra". Logo De Boni pôde apreciar a cultura de Silvio Ravaldini no campo da pesquisa psíquica e suas habilidades como arquivista e escritor; portanto, ele o convidou para colaborar na revista e na publicação de alguns livros. Boa escolha, também porque De Boni foi bloqueado por alguns anos em seus negócios por um acidente e Ravaldini provou ser verdadeiramente valioso. Com a morte de De Boni, em 1986, Ravaldini se tornou seu herdeiro: diretor de "Luce e Ombra" e curador da biblioteca, que depois foi transferida para Bolonha para alugar na Via Orfeo.

 

Nos anos 90, graças à generosidade da sra. Silvana Annovazzi Pagnotta, foi adquirida a localização atual na via Marconi 8 / E, onde a biblioteca encontrou um local novo e mais adequado. O trabalho de Silvio Ravaldini é extraordinário pelo cuidado e catalogação dos volumes, pela divulgação da revista, pelas atividades culturais que acontecem na biblioteca há muitos anos, que entretanto se tornaram uma fundação.

 

Silvio Ravaldini nos deixou em 24 de novembro de 2015.


Desde 2016 Paola Giovetti é diretora atual da revista Luce e Ombra e presidente atual da Fundação da Biblioteca Bozzano De Boni.

 

Fonte: Biblioteca Bozzano de Boni

Ver no site as obras completas de Ernesto Bozzano

Fontes: Vita Oltre la Morte (Silvio Ravaldini è presidente della Fondazione Biblioteca Bozzano De Boni, in questa rara intervista racconta di aver vissuto i più grandi fenomeni dell'alta medianità attraverso le facoltà di alcuni medium. Consultare per maggiori informazioni il sito della fondazione, Ernesto Bozzano, Gastone De Boni)

Fontes: Fondazione Biblioteca Bozzano de Boni

 

Fontes: USI - Unione Spiritica Italiana

 

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

 

 

Rivista Luce e Ombra (1902 - 1910)

 

Rivista Luce e Ombra (1911 - 1919)

 

Rivista Luce e Ombra (1920 - 1929)