Ramiro Gama

O SEMEADOR DO Espiritismo

NAS TERRAS DO Brasil

(1898 - 1981)

 

Ramiro Gama

Lindos casos de Chico Xavier

 Biografia de Ramiro Gama:

Nascido no dia 27 de dezembro de 1898, em Tristão da Câmara, distrito de Petrópolis, Estado do Rio de Janeiro, e desencarnado no dia 20 de maio de 1981, na cidade do Rio de Janeiro.

Ramiro Gama nasceu filho de José Rodrigues de Araújo Gama e Gertrudes Pereira de Souza Gama. Era casado com Maria José Costa de Oliveira Gama, de cujo casamento nasceram três filhos: José Vicente (desencarnado), Ramiro, oficial da Aeronáutica, e Djalma, advogado, deixa também 9 netos e uma filha adotiva, Sônia. Era aposentado da Estrada de Ferro Central do Brasil, no cargo de professor.

Jornalista, escritor, poeta, conferencista e espírita dos mais atuantes. Participou de inúmeros Congressos e outros eventos espíritas, foi o criador das Semanas Espíritas, em 1939, na cidade de Três Rios, juntamente com a inesquecível Rita Cerqueira (Mãe Ritinha) e outros companheiros. A primeira Semana Espírita de que se tem notícia, com a participação de Leopoldo Machado, Carlos Imbassahy, Manoel Quintão, Jacques Aboab, Sebastião Lasneau e tantos outros.

Deixou vinte livros publicados: "Estuário", "Augusto dos Anjos", "História de um Co-ração", "Português em 20 lições", "O meu fanal", "Lindos casos de Chico Xavier", "O Bom Pastor", "De irmão para irmão", "Lindos casos de Bezerra de Menezes", "Teatro Espírita"(dois volumes), "Evangelho e Educação", "Viagem ao Norte e Nordeste Espírita", "Lindos casos do Evangelho", "O amor de nossas vidas", Seareiros da Primeira Hora", "Irmãos do bom combate", "Os mortos estão de pé", Lindos casos de mediunidade gloriosa", "Faz isso e viverás". Deixou mais de 10 livros inéditos.

Colaborou com quase toda a Imprensa Espírita do País e várias do Estrangeiro. Participou de inúmeros programas de Rádio e fundou o jornal "O Nosso Guia", já extinto,. Viajou por quase todo o Brasil a serviço do Espiritismo.

Fontes; LUCENA, Antônio de Souza e GODOY, Paulo Alves. Personagens do Espiritismo. Edições FEESP, 1982. 1ª edição, SP.

Trechos da obra:

Lutando no tratamento das irmãs obsidiadas, José e Chico Xavier gastaram alguns meses até que surgisse a cura completa. No princípio, porém, da tarefa assistencial houve uma noite em que José foi obrigado a viajar em serviço da sua profissão de seleiro. Mudara­se para Pedro Leopoldo um homem bom e rústico, de nome Manuel, que o povo dizia muito experimentado em doutrinar espíritos das trevas. O irmão do Chico não hesitou e resolveu visitá­lo, pedindo cooperação. Necessitava ausentar­se, mas o socorro às doentes não dever ia se r interrompido.

“Seu” Manuel aceitou o convite e, na hora aprazada, compareceu ao “Centro Espírita Luiz Gonzaga”, com uma Bíblia antiga sob o braço direito.

A sessão começou eficiente e pacífica. Como de outras vezes, depois das preces e instruções de abertura, o Chico seria o médium para a doutrinação dos obsessores. Um dos espíritos amigos incorporou­se, por intermédio dele, fornecendo a precisa orientação e disse ao “seu” Manuel entre outras coisas:

— Meu amigo, quando o perseguidor infeliz apossar­se do médium, aplique o Evangelho com veemência.

— Pois não, — respondeu o diretor muito calmo, — a vossa ordem será obedecida.

E quando a primeira das entidades per turbadas assenhoreou o aparelho mediúnico, exigindo assistência evangelizante, “seu” Manuel tomou a Bíblia de grande formato e bateu, com ela, muitas vezes, sobre o crânio do Chico, exclamando, irritadiço:

— Tome Evangelho! Tome Evangelho!...

O obsessor, sob a influência de benfeitores espirituais da casa, afastou­se, de imediato, e a sessão foi encerrada. Mas o Chico sofreu intensa torção no pescoço e esteve seis dias de cama para curar o torcicolo doloroso. E, ainda hoje, ele afirma satisfeito que será talvez das poucas pessoas do mundo que terão tomado “uma surra de Bíblia”...

Fontes: A Luz na Mente - Revista on line de Artigos Espíritas (Ha! Que Saudades do Chico Xavier!...)

Fontes: Paulo Neto (Artigos Espíritas)

"Lembremo-nos de que o homem interior se renova sempre. A luta enriquece-o de experiência, a dor aprimora-lhe as emoções e o sacrifício tempera-lhe o caráter. O Espírito encarnado sofre constantes transformações por fora, a fim de acrisolar-se e engrandecer-se por dentro"

Chico Xavier "O Farol de Cristo"

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Biografia de Ramiro Gama

 

Ramiro Gama - Lindos Casos de Chico Xavier PDF