GALERIA DOS GRANDES MÉDIUNS CLÁSSICOS

 

Apresentação do tema:

O site vem agora enfoca os grandes médiuns do passado, pois sem eles não haveriam a Codificação Espírita ou Revelação dos Espíritos.

Na verdade, após a Codificação de Kardec apareceram inúmeros pesquisadores dos fatos mediúnicos: William Crookes, Charles Richet, Oliver Lodge, Conan Doyle, Gustave Geley, Albert de Rochas, James Hyslop, Paul Gibier, Alfred Russel Wallace, Robert Dale Owen, Alexandre Aksakoff, César de Vesme, Carl du Prel, Enrico Morselli, Ernesto Bozzano, Friedrich Zollner e muitos outros.

Estes grandes pesquisadores estudavam as faculdades dos médiuns como: Leonora Piper, Eusápia Palladino, Florence Cook, Daniel Douglas Home, Madame d' Espérance, Madame Salmon, Anna Prado, Henry Slade, Emma Hardinge Britten, Andrew Jackson Davis, Daniel Dunglas Home, Kathleen Goligher, Linda Gazzera, William Stainton Moses e muitos outros.

Não obstante a respeitabilidade destes grandes pesquisadores da alma que comprovaram através de pesquisas incessantes as premissas básicas da Doutrina Espírita como: a imortalidade da alma, reencarnação, a vida ativa do espírito após a morte do corpo físico. A Doutrina Codificada por Allan Kardec estaria transfigurada simplesmente em vasto laboratório de intermináveis experimentos.

Estes bravos médiuns que sustentaram o estandarte do amor e da luz, consagrados ao bem da humanidade colaboraram através  de  sua mediunidade no desbravamento e na difusão dos novos conhecimentos sobre o mundo espiritual e como pioneiros da Codificação da Doutrina Espírita, vieram trazer a luz e a revivência dos ensinamentos da Boa Nova do Nazareno da Galiléia.

Irmãos W.

O site apresenta uma singela mensagens ao médiuns:

O site vem prestar uma homenagem a todos aqueles médiuns dos Rincões do Brasil e do Mundo e que em sua missão de trazer fé e a esperança, vem trazer os ensinamentos da Boa Nova no Evangelho Redivivo do Nazareno da Galiléia.

A estes queridos irmãos humildes desconhecidos que militam pela causa do bem é que são incompreendidos, pois são muitas vezes perseguidos implacavelmente nos diversos planos da matéria ou do mundo espiritual inferior é que na vida da matéria são algumas vezes vencidos mais nunca serão derrotados. Assim como a Fênix que mil vezes batida e combatida, mas que mil vezes ressurge de suas próprias cinzas.

Confiemos em nosso Mestre da Galiléia!!! Pois somos instrumentos ou faróis que deveremos iluminar aqueles que passam nas trevas da ignorância da vida!!! Nada devemos temer!!!A nossa vida no mundo da matéria é muito curta!!! Somos espíritos devedores da vida!!! Não se esqueçais que muitas vezes que o vosso testemunho do que falamos será anônimo é conosco mesmo!!!

Oh!!! Queridos amigos!!! Jamais desistam do bem!!! Pois ser médium é uma grande missão que escolhemos antes de reencarnar!!! Assim queridos amigos em Cristo!!! Sigamos em nossa vida plantando o bem e a fraternidade por onde passamos!!! Pois iremos colher o que plantamos nos corações dos homens!!!

Irmãos W.

 Temas doutrinários:

QUANTAS MOSCAS NO COCHE

Uma mensagem assinada pelo apóstolo Erasto, discípulo de São Paulo, colocada no papel pelo médium D’Ambel naquele ano, alertava para os riscos de uma iminente “guerra surda” no território espírita. Ninguém seria martirizado como nos tempos da Inquisição, mas as torturas físicas seriam substituídas por suplícios morais:

— Levantarão embustes, armarão ciladas, tanto mais perigosas quanto usarão mãos amigas; agirão na sombra e recebereis golpes, sem saber por quem são desferidos, e sereis atingidos em pleno peito por flechas envenenadas da calúnia.

Movidos pelo orgulho e pela vaidade, vaticinava a mensagem, adeptos da doutrina declarariam independência do movimento liderado por Kardec e tentariam seguir caminhos próprios à frente de grupos dissidentes. Pior: guiados pela ganância, alguns deles, os mais ambiciosos, representariam “indignas comédias”, bem-remuneradas por adversários, para desmoralizar o espiritismo.

Para combater todos estes riscos, só restava um caminho: a união.

— Uni-vos para que o inimigo encontre vossas fileiras compactas e cerradas.

A mensagem de Erasto parecia ecoar as preocupações — e interesses — do próprio Kardec:

— A hora é grave e solene. Para trás, então, todas as mesquinhas discussões, todas as perguntas ociosas e todas as vãs pretensões de proeminência e amor-próprio. Ocupai-vos dos grandes interesses.

Só depois de tornar público este recado direto, Kardec decidiu tirar da gaveta outro aviso, assinado pelo mesmo Erasto em sessão particular. Neste texto, o alvo das críticas era bastante evidente: os médiuns orgulhosos, cada vez mais numerosos e mais ávidos por projeção.

— De todos os lados surgem médiuns com supostas missões, chamados, ao que dizem, a tomar em mãos a bandeira do Espiritismo e plantá-la sobre as ruínas do velho mundo, como se nós viéssemos destruir — nós que viemos para construir. Ah, meus amigos, quantas moscas no coche!

Estes médiuns, alertava a mensagem, eram presas fáceis de espíritos perversos, interessados apenas em se divertir ou, pior, em desmoralizar o espiritismo. A um dos intermediários do além, uma dessas entidades teria prometido revelar o segredo da transmutação dos metais e da incubação de diamantes; a outro, passara a fazer profecias, pontuadas por detalhes incríveis, todas desmentidas pelo futuro; a um terceiro, o espírito teria anunciado a revelação de descobertas capazes de levá-lo à fama e à fortuna. Tudo reduzido a nada e, o pior, ao ridículo.

Pelas mãos do médium D’Ambel, as declarações atribuídas a Erasto atingiam sem piedade toda a categoria de escreventes do além:

— Espíritas, que vos importam os médiuns se, afinal de contas, não passam de instrumentos? O que deveis considerar é o valor dos ensinamentos dados; é a pureza da moral ensinada, é a clareza das verdades reveladas.

Médiuns? Cuidado com eles!

— Desagradável ver que alguns se julgam os únicos chamados a distribuir a verdade ao mundo e se extasiam ante banalidades que consideram monumentos. Pobres abusados, que rebaixam para passar pelos arcos de triunfo!

Médiuns vaidosos? Livrem-se deles!

— Ah! Se todos os médiuns tivessem fé, eu seria o primeiro a inclinar-me perante eles; mas eles não têm, na maior parte do tempo, senão fé neles mesmos, tão grande é o orgulho na Terra. (...) Muitos serão chamados; poucos, os escolhidos.

Entre os adversários — espíritas concorrentes?, médiuns orgulhosos? —, avisos como estes repercutiam pouco, ou mal.

Quem garantia, afinal, que aquele fosse mesmo Erasto? Por que deveriam acatar as orientações assinadas pelo médium D’Ambel? Deveriam ficar unidos, sim, mas em torno de Kardec? Por que, se a doutrina era obra dos espíritos superiores e não uma criação sua?

Há um ano, em Bordeaux, o advogado Roustaing — que, dois anos antes, em 1861, escrevera carta pública de apoio a Kardec — dedicava-se a conduzir longos diálogos paralelos com o além, intermediados pela médium belga Émilie Collignon. Seus interlocutores eram tão célebres quanto muitos colaboradores de O livro dos espíritos e O livro dos médiuns: os quatro evangelistas, acompanhados de perto pelos próprios apóstolos e por Moisés.

Kardec ainda não sabia, mas o livro gerado por estes diálogos — intitulado Os quatro evangelhos — circularia com o seguinte subtítulo estampado na capa: “Espiritismo cristão ou revelação da revelação.”

Erasto alertara, mas Marcos, João, Mateus e Lucas falaram mais alto.

Fontes: Kardec - A Biografia - Marcel Souto Maior

"O Princípio das Reencarnações Representa a única Maneira de se Compreender as vias e a Justiça da Providência"

Hierócles, Filósofo Platônico do Século V

"São os próprios Espíritos que fazem a propaganda, auxiliados por inumeráveis médiuns que suscitam por todos os lados"

Allan Kardec "O Codificador da Doutrina Espírita"

 

RELAÇÃO DE MÉDIUNS PARA DOWNLOAD

 

Adrien (As Médiuns dos Círculos de Allan Kardec)

 

Julie Baudin, Caroline Baudin, Ruth Japhhet, Aline Carlloti (As Médiuns dos Círculos de Allan Kardec)

 

Ermance Dufaux de la Jonchère (As Médiuns dos Círculos de Allan Kardec)

 

Sra. Cazemajour (As Médiuns dos Círculos de Allan Kardec)  

 

Amália Domingo y Soler



Anna Prado

 

Andrew Jackson Davis

 

Antônio Gonçalves da Silva (O Batuíra)

 

Auguste Bez (O Médium de Bordeaux)

 

Barão Luis Guldenstubbé

 

Carmine Mirabelli

 

Daniel Dunglas Home (D. D. Home)

 

Elisabeth d' Espérance

 

Emanuel von Swedenborg

 

Emma Hardinge Britten

 

Eurípedes Barsanulfo

 

Eusápia Paladino

 

Florence Cook

 

Francisco Cândido Xavier (Chico Xavier)


Francisco Lins Peixoto (O Peixotinho)

 

Franek Kluski

 

Frederica Auffe

 

George Vale Owen

 

George Valiantine

 

Gladys Osborne Leonard

 

Helen Duncan

 

Henry Slade

 

  Indridi Indridasson

 

Irmãos Davenport

 

Irmãos Eddy

 

Irmãs Fox (Margaret, Kate e Leah)

 

  Jean Guzik

 

Jésus Gonçalves

 

 Jonathan Koons (Círculo da Família Koons)

 

José Pedro de Freitas (Zé Arigó)

 

Kathleen Goligher (Círculo Goligher)

 

Leonora E. de Piper (Madame Piper)

 

Linda Gazzera

 

Madame W. Krell

 

Marthe Beráud (Eva Carrière ou Eva C.)

 

Os Grandes Médiuns Russos (Wolf Messing - Semyon Kirlian)

 

Pearl Lenore Curran

 

Rufina Noeggerath

 

Stanislawa Tomczyk

 

Timoléon Jaubert

 

William Eglinton

 

William Stainton Moses

 

William Thomas Stead

 

Yvonne do Amaral Pereira