ANDRÉ DUMAS

PRESIDENTE DA ANTIGA Union Spirite Française

secretário geral da Maison des Spirites

OS GRANDES DIVULGADORES DO ESPIRITISMO NA FRANÇA DE ALLAN KARDEC

(1908 - 1997)

 

Reduziu o Espiritismo a pura observação da fenomenologia espírita e se desviou das propostas apresentadas pelo Codificador do Espiritismo

"Allan Kardec"

 

ANDRÉ DUMAS

ALLAN KARDEC SUA VIDA E SUA OBRA

(BIOGRAFIA DE ALLAN KARDEC)

 

Estudos Psíquicos Editora

Rua do Salitre, 149, 1°, Dir.1200

Lisboa - Portugal

Biografia André Dumas:

André Dumas nasceu em 1 de novembro de 1908 em Levallois-Perret, uma pequena cidade no departamento de Hautsde-Seine, na bacia de Paris. Logo após seu nascimento, seus pais deixaram a França e se estabeleceram em Genebra, onde serviram como estilistas de roupas femininas. O menino André estudou na Escola de Belas Artes, que treinou arquitetos, decoradores e escultores.

Desde tenra idade, ele demonstrou grande precocidade em suas habilidades e tendências intelectuais. Sua vocação para a ciência e a filosofia e sua rejeição ao ensino religioso eram claras, tanto que ele se recusou a seguir as aulas de catecismo na Igreja Calvinista e não aceitou a comunhão. Ele já havia lido a Bíblia inteira e anotado em um caderno as contradições que seu espírito crítico encontrou naquele livro. Ele ainda não completara 18 anos e já era um membro ativo da Union Spirite Française, dentro da qual desenvolveria uma crescente atividade no movimento espírita francês e internacional.

Por quatro décadas, ele foi diretor da "Éditions Jean Meyer", a mais importante editora espírita de língua francesa do mundo e da "Revue Spirite", a revista fundada por Allan Kardec. E secretário geral da Maison des Spirites. Em 1937, ele participou do Congrès Spirite International, realizado em Glasgow, defendendo ardentemente a tese reencarnacionista, contra a oposição anglo-saxônica. Lá ele foi nomeado vice-presidente e, no período seguinte, presidente da Fédération Spirite Internationale até 1954.

André Dumas era a favor de um espiritismo científico e de forte conteúdo humanístico e social. Ele escreveu extensivamente e com grande erudição para defender o evolucionismo como uma concepção geral da vida e do Universo. Ele disse que "a unificação do evolucionismo biológico e do evolucionismo espiritual, não dogmático ou religioso, é a única maneira que pode levar a uma compreensão autêntica da realidade".

Ele estava inclinado a dar ao kardecismo uma direção progressista no plano social, defendendo o conceito de "socialismo espiritualista", no qual abordava os ideais estabelecidos por seu compatriota León Denis e pelo argentino Manuel S. Porteiro, de quem se declarava admirador e seguidor. Seu livro principal: "The Science of the soul", Conseguiu amplo reconhecimento nos setores mais cultos do movimento espírita e nos círculos de pesquisa metapsíquica e parapsicológica. E a publicação de uma biografia chamada "Allan Kardec sua Vida e sua Obra".

Na França, em 1985, ele promoveu com entusiasmo a palestra pública na Salle Psyché, à qual deu ampla cobertura em "Renaitre 2000", o novo nome da "Revue Spirite".

No ano de 1987, uma das maiores figuras do Espiritismo do século XX partiu para a espiritualidade depois de mais 50 anos na dedicação máxima junto ao Espiritismo e o Movimento Espírita que não podemos medir dentro da historiografia espírita. Ele saiu radiante de luz, com a satisfação do dever cumprido. Parafraseando Flammarion, no túmulo de Kardec, dizemos: Até mais, meu querido André Dumas, até mais!

Fonte: Movimiento de Cultura Espírita Cima

Apresentação da biografia:

André Dumas, escritor e dirigente espírita francês, foi presidente da União Espírita Francesa (UEF) e diretor da Revista Espírita na década de 1970. Por muitos anos administrou o legado de Kardec e seus seguidores.

No entanto, é mais lembrado pela mudança do nome desta tradicional instituição espírita, em 1976: União Científica Francofônica para a Investigação Psíquica e o Estudo da Sobrevivência da Alma (USFIPES), em vez de UEF.

Nesse mesmo ano, para desagrado dos espíritas, principalmente brasileiros, a tradicional revista fundada por Allan Kardec deixa de circular. Em seu lugar Dumas lança um periódico denominado Renaître 2000. Segundo ele, as palavras espírita e espiritismo se descaracterizaram em seu verdadeiro significado, vinculando-se ao misticismo, ao religiosismo. Por isso a mudança.

O resultado foi a completa marginalização de Dumas e a briga jurídica com a União Espírita Francesa e Francofônica, fundada por Roger Perez em 1985, pelos direitos da Revista Espírita. Dois anos depois a instituição obtém sentença judicial favorável a Perez e a revista volta a circular novamente após 12 anos de interrupção, mas agora com um conteúdo mais religioso e doutrinante.

Apesar de ser lembrado como uma espécie de traidor, de Judas da causa espírita, Dumas foi um dirigente e um intelectual espírita importante na história do Espiritismo francês. Sua visão, laica e filosófica, destoava da grande maioria dos espíritas, notadamente os brasileiros, afeitos a concepções religiosas e sectárias, influenciados em demasia pelos cânones do cristianismo.

Além desta obra, Dumas escreveu La science de l'âme: initiation méthodique à l'étude des phénomènes supranormaux et aux théories de la métapsychologie, inédita no Brasil, e vários artigos para a Revista Espírita. André Dumas desencarnou em 1997.

Este ensaio biográfico que o Pense lança com exclusividade, em edição digital, foi distribuído em 1983 na forma de opúsculo, como um suplemento, uma separata da revista espírita portuguesa Estudos Psíquicos. A tradução é de Maria Raquel Duarte Santos, esposa de Isidoro Duarte Santos, fundador do periódico; ambos com eminente atuação no movimento espírita português, ao tempo da ditadura de António Salazar.

Fonte: André Dumas

Allan Kardec sua Vida e sua Obra

Sesquicentenário da Revista Espírita:

A Cronologia da Revista Espírita e do Movimento Espírita Francês

1858 - A Revista Espírita é criada por Allan Kardec, situada na Rua dos Mártires, 8.

Em 01/04, Allan Kardec fundava em Paris a “Société Parisienne des Études Spirites” (Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas), que funcionou inicialmente na galeria de Valois no Palais Royal.
1860 - A Revista Espírita e a Sociedade Parisiense de Estudos Espíritas são transferidas para a Passage Sainte-Anne, 59.

1869 - Com a desencarnação de Allan Kardec em 31/03, Pierre Gaétan Leymarie torna-se o Editor da Revista Espírita.

1870 / 1871 - Guerra Franco/Germânica – “La commune”.

1882 - Em 24/12, Se propõem a formação de uma assembleia geral para organizar a “Union Spirite Française” e a criação de um jornal.

1883 - Em 15/01 é criado o estatuto da “Union Spirite Française” e o Jornal “Le Spiritisme”.

1901 - Desencarna em 10/04, P. G. Leymarie. A Srª. Marina Leymarie assume a direção da Revista Espírita até 1904.

1904 - Paul Leymarie assume a Revista Espírita até 1916.

1914/1918 - 1ª Guerra Mundial. A Revista Espírita tem sua publicação suspensa até 1916.

1917 - A Revista Espírita volta a ser publicada, tendo como proprietário Jean Meyer, sendo seu diretor até 1931. Até 1924, Paul Leymarie foi seu editor.

1918 - Jean Meyer transfere a “Union Spirite Française", instalando-a em Paris na sua vila em Auteuil.

1919 - Jean Meyer transforma a “Union Spirite Française" em Associação tendo como presidente Gabriel Delanne e como presidente de honra Léon Denis.

1920 - Fundado Institut Metapsychique International por Jean Meyer.

1923 - Jean Meyer compra o prédio nº 8 da Rua Copernic, em Paris onde estabelece a sede da “Union Spirite Française". Este prédio ficou conhecido como a Maison des Spirites. (Casa dos Espíritas)

1925 - A Maison des Spirites sediou o Congresso Espírita Internacional com a participação de Léon Denis e Conan Doyle, tendo como vice-presidente Jean Meyer.

1926 - Desencarna Gabriel Delanne, primeiro presidente da "Union Spirite Française".

1927 - Desencarna Léon Denis presidente de honra da "Union Spirite Française".

1931 - Desencarna Jean Meyer em 13/04 na sua vila Valrose, em Béziers França. Seu amigo Hubert Forestier assume a direção da Revista Espírita até 1971.

1939 /1945 - Segunda Guerra Mundial. "Union Spirite Française" interrompe suas atividades.

1968 - A Revue Spirite passa a ser propriedade de Hubert Forestier, que a registrou no Instituto Nacional de Proteção Industrial.

1971 - Desencarnação de Hubert Forestier. Seus herdeiros transferem os direitos da Revue Spirite para André Dumas.

1976 - André Dumas, anuncia o abandono do título da Revue Spirite e a incorpora numa publicação não espírita denominada “Renaître 2000”, e também que a "Union Spirite Française" deixa de existir em abril para dar lugar a "Union Scientifique Francophone pour l’Investigation Psychique et l’Etude de la Survivance de l’Ame".

1977 - Em 20/01, o Presidente da Federação Espírita Brasileira, Francisco Thiesen escreveu ao Sr. André Dumas, para oficializar a proposta a quem de direito, no sentido de assumir a responsabilidade integral e definitiva pelo título e pela manutenção de “La Revue Spirite”. Proposta esta que foi recusada.

1979 - No ano de 1979 ocorre o desaparecimento da Maison des Spirites pela dissolução do setor imobiliário da sociedade civil de estudos metapsíquicos. Compartilhamento entre oito co-proprietários (Notário: Maître Bourcier em Paris).

1985 - Criação da “Union Spirite Française et Francophone”, por Roger Perez. André Dumas escreve a Roger Perez, que qualquer tentativa para adquirir os direitos sobre a Revue Spirite representa concorrência desleal.

1989 - A “Union Spirite Française et Francophone”, obtém em sentença judicial a recuperação do direito de utilização do título “Revue Spirite”, perante o Tribunal de Meaux, por não ter André Dumas renovado os direitos de propriedade do título da Revista em tempo hábil.No 4º trimestre, sob o nº 1, ano 132, ressurge a “Revue Spirite”, após 12 anos de interrupção.

1992 - Fundação do Conselho Espírita Internacional (CEI), Constituído em 28 de novembro de 1992 em Madri, na Espanha. Que abrange 36 países.

1997 - Desencarnação de André Dumas. E o encerramento da "Union Scientifique Francophone pour l’Investigation Psychique et l’Etude de la Survivance de l’Ame" que foi herdeira na antiga "Union Spirite Française".

2007 - Divergência de opiniões entre os responsáveis, a Union Spirite Française et Francophone foi dissolvida em 30 de outubro de 2007.

2007 - O Conselho Espírita Francês foi criado como uma associação sob a lei de 1901 em 9 de junho de 2007 em Denicé, perto de Lyon. É administrado colegialmente por um conselho de administração de 6 pessoas.

2018 - Outubro de 2018, transformação do Conselho Espírita Francês. Durante sua assembléia geral em dezembro de 2017, foi decidido adotar o antigo nome de Union Spirite Française et Francophone, dissolvido há pouco mais de 10 anos. Essa recreação é um forte sinal de apego às raízes e às antigas tradições ligadas ao movimento espírita francês.

2019 - Sábado, 10 de agosto, morte de Roger Perez. Ele foi o incansável presidente da Union Spirite Française et Francophone de 1985 a 2007.

Fonte: Revista Panorâmico Espírita

André Dumas - Maison des Spirites (1937)

Allan Kardec - La Revue Spirite (1937) - (Directeur: Hubert Forestier)

Congrès Spirite International de Glasgow (Octobre) (1937)

Allan Kardec - La Revue Spirite (1937) - (Directeur: Hubert Forestier)

Renaître 2000

Union Scientifique Francophone pour l’Investigation Psychique et l’Etude de la Survivance de l’Ame

Fontes: Encyclopédie Spirite

Fontes: CSI Espiritismo 

A leitura de O Livro dos Médiuns, de A Gênese e de Obras Póstumas, revela-nos toda a elaboração, por Allan Kardec, das bases científicas da parapsicologia moderna; ele conhecia a telepatia, que designava por "telegrafia espiritual", a fotografia do pensamento, a clarividência, a qual denominava "lucidez", a precognição (para a qual tentou uma explicação racional), as aparições de vivos, dos fenômenos de bilocação (out-of-body, assim dizem os parapsicólogos anglo-americanos) e que designam pelo termo de "bicorporeidade", e os fantasmas materializados, a que deu o nome de "agêneres".

André Dumas "Allan Kardec sua Vida e sua Obra"

A infinita variedade de formas e graus de condensação da matéria existente no universo tem sido ao longo dos tempos designada por matéria, pois entendemos que matéria é tudo aquilo que impressiona nossos sentidos e é impenetrável:

Do vosso ponto de vista isto é exato, porque não falais senão do que conheceis; mas a matéria existe em estados que ignorais. Pode ser, por exemplo, tão etérea e sutil que nenhuma impressão vos cause aos sentidos. Contudo, é sempre matéria, embora não o seja para vós.

Allan Kardec: O Livro dos Espíritos, livro I, cap. 11, § 22

 

RELAÇÃO DE OBRAS PARA DOWNLOAD

 

Allan Kardec - La Revue Spirite (1937) - (Directeur: Hubert Forestier)

 

André Dumas - Allan Kardec sua Vida e sua Obra